Uma vitória para as cervejarias artesanais de Campinas


Não é possível comparar grandes indústrias com pequenas fábricas, mesmo que elas façam produtos semelhantes. No entanto, isso é recorrente na legislação dos municípios, dos estados e da união. Em Campinas, por exemplo, as cervejarias artesanais eram classificadas da mesma forma que a Ambev. Eram. Na quarta-feira, dia 2 de outubro, a situação mudou na cidade por conta da assinatura de um decreto que alterou o CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas)das cervejarias artesanais e de outras 14 categorias.

O que isso quer dizer? Que elas passam a ser consideradas empresas de baixo impacto e poderão estar ao longo de grandes avenidas, no centro da cidade e em bairros nobres. Antes, só poderiam ser instaladas na área industrial do município, como ao longo das rodovias, no Distrito Industrial e no Parque Via Norte. Uma verdadeira vitória pro setor!

Prefeito Jonas Donizette assina decreto que altera de médio para baixo impacto a classificação das cervejarias artesanais

A demanda foi apresentada pelo Polo Cervejeiro da Região Metropolitana de Campinas, que atualmente representa 18 cervejarias, 11 delas de Campinas. Para o presidente da associação, Alexandre Leme, que é um dos sócios da Tábuas Cervejaria, a assinatura do decreto é um divisor de águas. “Consideramos essa conquista comparável à obtida pela Abracerva em 2018, quando as cervejarias puderam começar a usufruir do Simples Nacional, tornando o setor maior e mais saudável”, comenta. “Ao simplificar e facilitar a instalação de novas microcervejarias independentes na cidade, vamos gerar novos postos de trabalho, direta e indiretamente, e fomentar a economia local. Esta ação contribui para incentivar o turismo e gastronomia de nossa região e fomenta ainda mais o empreendedorismo em Campinas. Prestigia nossos produtos e fortalece nossa região como um Polo Cervejeiro de destaque nacional”, conclui.

Antes da assinatura do documento, o vice-presidente do Polo, Wagner Falci, sócio da Cervejaria Daoravida, fez uma pequena explanação sobre a atuação do Polo e o crescimento dos números neste mercado. Segundo Falci, em 2013 eram 280 cervejarias registradas no país e hoje já são mais de 1000 com registro no Ministério da Agricultura, com o estado de São Paulo ocupando a segunda colocação no país. Além disso, falou sobre como o setor colabora com a economia, já que representa 2,5% do mercado total de cervejas e gera 12% dos empregos diretos, segundo dados do CAGED. ” Para o município trazer uma grande cervejaria não é tão vantajoso quanto trazer cinco pequenas cervejarias quando se pensa em geração de emprego, porque geram mais emprego por litro produzido que os grandes conglomerados”, explica.
Um exemplo
“Na prática, abre a facilidade e a possibilidade de montar uma cervejaria ou um bar numa região central da cidade. Posso montar uma pequena cervejaria, com um bar na frente, na região do Taquaral, por exemplo”, explicou o presidente do Polo Cervejeiro da RMC, Alexandre Leme, aos jornalistas.
Também pode ocorrer ao contrário. O bar construir o espaço para fabricar suas cervejas. O próprio Taquaral já conta com três Tap Houses de cervejarias: Campinas, Daoravida e Landel. Esta última é a mais antiga artesanal em atividade na cidade e, atualmente, a fabricação de seus produtos ocorre fora do município. Questionado por Entre Sabores no que a assinatura do decreto impacta o setor, Samuel Faria, sócio da Landel, explicou: ” agora temos a possibilidade de montar uma pequena fábrica aqui no nosso Tap pra fazer novidades. Mas não só isso. Tivemos muita dificuldade para fixar o endereço da cervejaria onde estamos hoje, por mais que fosse só um escritório de compra e venda de insumos cervejeiros. Isso porque o poder público olhava para gente como se fôssemos iguais às grandes indústrias do setor, justamente porque o cnae era o mesmo”. Ele continua: “com a mudança, as novas empresas não vão passar por isso, além de que abrimos portas para que possamos montar nossas pequenas estruturas sem incomodar a comunidade, mas sim agregando como faz a padaria, o açougue do bairro. Agora o município reconhece que há diferenças entre as cervejarias não só no impacto, mas também tributário, financeiro, social.”
Outros pontos

Também no dia 2, o Polo e as autoridades de Cultura e Turismo de Campinas lançaram o Polo Beer Festival – a  Oktoberfest do Polo Cervejeiro da Região Metropolitana de Campinas , que irá ocorrer nos dias 26 e 27 de outubro, na Praça Carlos Gomes, em Campinas. Evento vai reunir 15 cervejarias da região, com gastronomia, música e uma tenda com palestras sobre o mundo cervejeiro.

Além disso, a diretora de Turismo de Campinas, Alexandra Caprioli apresentou oficialmente a Rota Cervejeira da RMC, que terá com material específico divulgando a cultura e o turismo do setor. Região já faz parte da Rota do Estado de São Paulo, que foi lançada no início de setembro, durante o Mondial de la Biere – Festival Internacional de Cervejas do Rio de Janeiro.

Foto: Carlos Bassan

Tags:,

Categorias: Entre copos, taças e xícaras

Assinar

Assine nosso feed RSS e nossos perfis sociais para receber atualizações.

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: